sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

O novo ataque de Marinho Pinto

Já tive aqui várias oportunidades de demonstrar o meu desagrado com o Bastonário da Ordem dos Advogados.
No entanto, a cada dia que passa, Marinho Pinto faz coisas que levam a que goste ainda menos dele.

Ontem, na entrevista à RTP, o Bastonário parecia uma metralhadora. Lançou acusações a torto e a direito, difamou a PJ...enfim, fez como se diz na gíria, “30 por uma linha”. A palavra “Bastonário” significa “aquele que leva o bastão”, ou seja, aquele que guia.

Neste momento, a pessoa em Portugal que guia os Advogados é Marinho Pinto. Não sou advogado, mas se fosse, não me reveria certamente no estilo e na forma de agir de Marinho Pinto.

Há uma frase que diz: “With great power comes great responsabilities”. Marinho Pinto pode não ter um poder público, ao nível de um órgão de soberania. Mas tem um poder representativo de milhares de advogados.

E o que é que ele faz com esse poder? Defende os advogados? Não. Aproveita-se desse poder para ter tempo de antena (se não tivesse este cargo, não seria entrevistado na RTP) para lançar acusações vagas.

Com isto, Marinho Pinto vai conseguir descredibilizar a Ordem dos Advogados e os advogados em geral. E nunca nos podemos esquecer que as acusações que ele fez têm de ser provadas em Tribunal.

E se o não forem? Em que posição fica Marinho Pinto? Certamente ficará bastante desconfortável.

A única coisa que pode fazer com que Marinho Pinto escape incólume caso nada se prove é o facto de a nossa Justiça ser de tal forma lenta que, na altura da sentença, já Marinho Pinto deve ter deixado de ser Bastonário.

E sobre lentidão da Justiça? Alguém já o ouviu falar acerca disto?

2 comentários:

Webix disse...

"se não tivesse este cargo, não seria entrevistado na RTP" ?!! (Marinho já fala na TV há muito tempo)

"as acusações que ele fez têm de ser provadas em Tribunal."
Ele não faz acusações nenhumas: citou casos públicos; saíram nos jornais; só não sabe quem não quer. Citou-os.

Há muitas críticas que se podem fazer a Marinho (por exemplo: não propõe soluções) mas aqui não se vê nada de válido.

PR disse...

Faço apenas 2 reparos ao seu comentário:

1 - "(Marinho já fala na TV há muito tempo)"
E teria direito ao tempo de antena da Grande Entrevista se não fosse bastonário? Certamente que não. Basta ver que antes ele falava no programa Fátima, que não pode ser comparado à Grande Entrevista em termos de audiência

2 - "Ele não faz acusações nenhumas" Acusação (acto ou efeito de acusar; denúncia; censura; imputação); Dicionário de Língua Portuguesa da Porto Editora. Marinho Pinto não denuncia casos? Não imputa ilegalidades a certas pessoas, de quem curiosamente omite os nomes?
Se eu digo "aquele tipo é um malandro; saiu do Governo e foi logo arranjar um tacho na empresa X". Independentemente de isto ser público ou não, caro webix, ao dizer isto, não estou a acusá-lo de se ter aproveitado do lugar no Governo para ir para essa empresa? Não faço uma acusação?